Tecnologia na educação

Tecnologia na educação: Como a tecnologia pode beneficiar estudantes e educadores

A tecnologia está em constante evolução. À medida que a tecnologia na educação se desenvolve, as crianças estão desenvolvendo habilidades fora da sala de aula, utilizando novas formas de aplicativos e dispositivos tecnológicos. Seja um novo videogame ou uma plataforma de mídia social, essas são habilidades subvalorizadas na sala de aula. Ser capaz de se adaptar continuamente a novas plataformas avançadas é uma característica valiosa no mercado de trabalho moderno. Pensa-se que 85% dos empregos em 2030 ainda não foram inventados. É por isso que o sistema educacional está avançando significativamente na tentativa de combinar tecnologia e educação. Pensa-se que a familiaridade da tecnologia dentro da sala de aula envolva os alunos. Aprimorar sua capacidade de se adaptar e aprender novas plataformas tecnológicas ajudará bastante no desenvolvimento acadêmico. Isso os manterá em boa posição quando se trata de precisar se adaptar para desenvolver suas futuras carreiras.

O papel da tecnologia na educação vem de diferentes formas. Alguns exemplos incluem cursos de IA, VR, aprendizado móvel, gamificação e online. Que tipo de tecnologia é utilizada para a qual os alunos podem depender de vários fatores, como a idade e o estágio principal dos alunos. Por exemplo, a gamificação é geralmente usada para crianças e adolescentes, enquanto cursos online estão disponíveis para estudantes universitários que podem acessá-los todos os dias da semana em qualquer horário.

Maior envolvimento e acessibilidade para os alunos – Tecnologia na educação

Tão rapidamente quanto a tecnologia cresce fora da sala de aula, os livros didáticos e os quadros brancos caem em desuso dentro dela.

O uso de laptops e tablets nas salas de aula está aumentando rapidamente. Esses dispositivos permitem a sincronização de vários dispositivos entre alunos e professores, melhorando a interação e a comunicação entre a turma. De fato, 75% dos educadores acreditam que, até 2026, os livros didáticos serão totalmente substituídos por dispositivos eletrônicos.

Como a maioria dos estudantes agora está sujeita à tecnologia em suas vidas cotidianas, às vezes até mais do que o educador, isso lhes permite ter mais controle nas aulas, de maneira positiva. Essa familiaridade com a tecnologia transforma a lição em mais uma discussão colaborativa, em vez de uma parte fornecer informações à outra. Esse nível aumentado de independência incentiva o engajamento entre os alunos, revelando mais semelhanças com o local de trabalho profissional do que com a escola.

Os cursos online, em particular os MOOC (Massive open online courses), permitem que os alunos acessem informações educacionais, possivelmente transmitidas do outro lado do mundo. Em 2011, um professor da Universidade de Stanford ofereceu um curso online gratuito de IA. 160.000 estudantes espalhados por 190 países observaram este curso. Esse nível de acessibilidade pode educar os alunos que, de outra forma, teriam acesso limitado por estarem em um país diferente.

A tecnologia na educação também pode nivelar o campo de jogo para estudantes que vêm de famílias de baixa renda. Isso lhes dá a oportunidade de aprender a usar diferentes tipos de tecnologia e software, que de outra forma seriam restritos. A tecnologia é tão predominante profissionalmente hoje em dia. É essencial que estudantes de origens menos privilegiadas não sejam deixados para trás devido a restrições financeiras.

Agora, os alunos também podem obter acesso a recursos de aprendizagem online, que antes estavam disponíveis apenas para professores. Isso dá mais flexibilidade e controle aos alunos. Isso permite que os alunos leiam as aulas em seu próprio tempo, mesmo antes das aulas. O tempo na sala de aula é então gasto interagindo e resolvendo problemas, em vez de ser discutido, o que pode ser um método ineficiente de ensino para muitos alunos.

Ajuda os professores a se concentrarem no elemento humano

Existe um equívoco comum de que o acréscimo de tecnologia na sala de aula pode reduzir a importância do professor. No entanto, é o contrário. Como discutido anteriormente, mais tecnologia é integrada à sala de aula; os alunos mais envolvidos e independentes podem se tornar. A tecnologia também pode ajudar os professores em tarefas administrativas simples, como marcar presença e acompanhar as pontuações dos testes. Tudo isso dá ao professor mais tempo e liberdade para se concentrar nos elementos humanos mais práticos do ensino.

Essa combinação de aprendizado presencial e online é conhecida como aprendizado híbrido (blended learning). O método invertido da sala de aula, por exemplo, permite que os alunos aprendam com recursos públicos em seu próprio ritmo; em seguida, nas aulas, o professor pode colaborar e desafiá-los no que aprenderam. Obviamente, o aprendizado e os recursos online exigem um elemento de confiança e maturidade dos alunos, motivo pelo qual é mais comumente utilizado por estudantes de faculdades e universidades.

O teste digital é outro elemento da tecnologia na educação que pode beneficiar os professores. Estruturas de teste tradicionais são úteis; no entanto, eles podem consumir muito tempo. Os testes digitais, por outro lado, acompanharão automaticamente o desempenho dos alunos ao longo do tempo. A IA pode usar esses resultados do teste para personalizar um esquema de desenvolvimento pessoal para cada aluno. O professor pode, então, acompanhar o desempenho do aluno a partir daqui e intervir em qualquer área que ache que o aluno precise de assistência específica.

Impacto econômico e ambiental

O aprendizado híbrido (blended learning) reduz a quantidade de tempo gasto fisicamente na sala de aula. Isso pode beneficiar estabelecimentos de ensino e estudantes econômica e ambientalmente, além de educacionalmente.

Em vez de contar com muitas salas de aula menores para ministrar várias aulas, as escolas começaram a introduzir áreas de aprendizado menores, porém maiores. Essas áreas reduzem a quantidade de espaço necessário para facilitar os alunos, reduzindo os custos e o impacto ambiental do estabelecimento. Quando os alunos conseguem utilizar o ensino online em casa, há menos necessidade de uma área menor e mais compacta para os professores darem aulas individualmente aos alunos. Em vez disso, os alunos usam o aprendizado autodirecionado, onde podem ler os recursos em casa e passar o tempo na sala de aula discutindo e concluindo tarefas.

Conclusão

No ritmo atual em que a tecnologia está se desenvolvendo, é crucial que o sistema educacional não fique para trás. Os próprios alunos se adaptarão fora da sala de aula; no entanto, quanto mais avançam enquanto os métodos tradicionais de instrução estagnam, mais alunos desconectados podem ficar com a aprendizagem. As etapas estão sendo tomadas na direção certa, com aulas online e tablets nas salas de aula se tornando mais acessíveis. No entanto, para tirar o máximo proveito dos alunos, o sistema educacional precisa se adaptar a eles e não o contrário.

Nesta era da tecnologia e da mídia social, estudantes e jovens são incentivados a se expressar e a serem independentes. Se tentarmos forçar recursos e métodos de ensino desatualizados, comparado aos meios modernos e inovadores de tecnologia a que estão expostos no exterior da sala de aula, isso apenas desencorajará o aprendizado e dificultará o desenvolvimento.

Compartilhe:

Leave a Comment